Doença Periodontal

A periodontite é uma forma de gengivite mais avançada, é a segunda fase da gengivite se esta não for tratada de forma imediata e adequada. Se a gengivite se caracteriza por ser uma inflamação das gengivas, a periodontite vai mais longe, uma vez que é uma doença que afeta o periodonto, ou seja, todos os tecidos que envolvem e apoiam os dentes, incluindo as gengivas, o osso e o ligamento periodontal que fixa os dentes, atuando como uma espécie de “almofada” entre o dente e o osso.

Regra geral, qualquer tipo de doença periodontal é o resultado direto de uma má saúde oral, com insuficiência ao nível da lavagem dos dentes, assim como da passagem do fio dental. Quando a higiene oral é descurada, as bactérias e a placa bacteriana que se vai acumulando na boca começam a “atacar” as gengivas, os tecidos que circundam os dentes, e até o osso. As toxinas libertadas pelas bactérias presentes na boca fazem com que o organismo responda através de um processo inflamatório que, se não for rapidamente tratado, pode começar a “desfazer” as gengivas e os ossos que suportam os dentes. Esta degradação cria bolsas nas gengivas que se tornam, devido à sua profundidade, tornam-se locais propícios para continuar a acumular resíduos alimentares, bactérias e placa, agravando assim o estado da doença.

Embora os sintomas da periodontite possam ser manifestamente desagradáveis e dolorosos, muitos passam despercebidos ou de forma passageira, o que permite, muitas vezes, que a gengivite evolua rápida e facilmente para uma periodontite.

É importante estar atento aos seguintes sintomas e marcar uma consulta no caso de registar uma ou mais destas perturbações:

- Sangramento das gengivas durante a escovagem dos dentes e/ou uso de fio/escovilhão dental;
- Sangramento das gengivas quando trinca alguns tipos de alimentos, caso de uma maçã, por exemplo;
- Gengivas inchadas e de cor vermelha (principalmente se este sintoma for recorrente);
- Mau hálito persistente e/ou um sabor metálico constante na boca;
- Gengivas recuadas, o que confere aos dentes um aspeto mais alongado;
- Dentes que parecem estar soltos e/ou separados dos restantes;
- Alteração da posição dos dentes quando trinca alguma coisa;
- Alteração da forma como encaixa uma prótese dentária.

Embora possa deixar danos irreversíveis, que terão de ser ativamente controlados daí para a frente, a periodontite é tratável, e o primeiro passo é uma consulta para que se possa avaliar e elaborar um plano de tratamento, que pode incluir: radiografias, técnicas de higiene oral corretas e complementares, dentífrico e elixir/colutório específico, destartarização, etc.
Existem também tratamentos a laser, assim como tratamentos medicamentosos complementares. Em casos de periodontite avançada, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica.

No que toca a garantir uma boa saúde oral, a prevenção é o melhor remédio e, uma vez que a gengivite e a periodontite apresentam sintomas semelhantes, embora a segunda seja uma doença mais grave que a primeira, a deteção precoce é crucial. Para além de assegurar um check-up dentário de 6 em 6 meses, não deve descurar a higiene oral pessoal: lave bem os dentes, de preferência três vezes por dia, numa das quais usando o fio dental e um elixir/colutório. Tenha uma alimentação saudável, pratique exercício físico e evite o consumo de álcool/tabaco e outros hábitos que prejudiquem a sua saúde. Esteja atento a eventuais alterações na sua saúde oral, visitando o seu Médico Dentista sempre que algo parecer fora do normal.
 

Copyright © 2012 www.maiasorriso.com | Créditos MaiaSorriso