Flúor e Prevenção da Cárie Dentária

A cárie pode ser definida como uma destruição localizada dos tecidos dentários causada pela acção das bactérias. Se a cárie não for tratada, pode atingir a dentina e a polpa do dente (camadas mais internas do dente) causando dor, inflamação e, em estados mais avançados, pode ocorrer um abcesso. O flúor é um mineral extremamente importante na prevenção da cárie.

A cárie dentária ocorre quando se forma uma cavidade no dente, provocada pelo ácido produzido pelas bactérias que constituem a placa bacteriana. O ácido provoca a degradação do esmalte (camada mais resistente que reveste os dentes), este cede, e forma-se a cavidade.


O flúor, quando ingerido durante o período de formação dos dentes, incorpora-se no esmalte, tornando-o mais resistente a futuros ataques ácidos. Tal acontece quando é administrado no organismo humano através dos alimentos (água, sal, leite) ou suplementos (comprimidos ou gotas).


Por outro lado, numa cárie muito precoce, o flúor ajuda a reparar o esmalte, inibindo a sua dissolução, fortalecendo-o, remineralizando-o, impedindo a aderência da placa bacteriana ao dente e exercendo um efeito bactericida. O flúor actua desta forma quando é administrado por via tópica (local) através das pastas dentífricas, dos vernizes (selantes), dos bochechos e da aplicação profissional (gel ou solução e pasta profilática).


A forma tópica parece ser a mais eficaz na prevenção da cárie dentária, tanto em adultos como em crianças.


Aconselha-se a aplicação tópica de flúor pelo Médico Dentista de 6 em 6 meses. Nos casos de risco elevado de cáries é aconselhável aplicar o flúor de 3 em 3 meses.
 

Copyright © 2012 www.maiasorriso.com | Créditos MaiaSorriso